Nem todo mundo que acabou de ter um filho já planeja a próxima gravidez, não é mesmo?

            Muitas são as dúvidas que podem surgir, principalmente se você ainda está amamentando o seu filho pequeno. Pensando nisso, separamos algumas coisas que toda mãe deve saber sobre a amamentação durante a gestação e a decisão de começar a introdução alimentar.

A importância da amamentação

            Além de, obviamente, a amamentação ser um processo de conexão entre mãe e bebê super importante, ela também traz muitos benefícios tanto para a saúde e bem-estar do bebê quanto da mãe.

            O leite materno é o alimento recomendado até os dois anos de idade, porém, é importante lembrar que esse alimento é exclusivo nos primeiros seis meses de vida do seu bebê. Dessa forma, depois desse período de seis meses, o leite passa a ser um complemento da alimentação da criança.

            O leite materno é facilmente digerido, repleto de nutrientes e a quantidade necessária de água que o bebê precisa. Além de nutrir e hidratar, a amamentação fornece também anticorpos e auxilia no aumento da imunidade.

            O bebê ainda conta com muitos benefícios além dos citados anteriormente. Sendo assim, o seu bebê irá:

Dificuldades para amamentar

            Apesar de ser um momento de extrema importância para a vida do bebê, muitas mães sofrem com o momento da amamentação.

            Amamentar nem sempre é uma tarefa fácil para todas as mulheres e pode oferecer experiências que causam um pouco de frustração, visto que pode ser um momento bastante doloroso.

            Todos nós sabemos o quanto a amamentação é importante tanto para o bebê quanto para a mãe, além de ser um momento único onde os dois estão completamente conectados. Porém, nem todas as mães podem amamentar os seus bebês e isso pode causar diversos danos emocionais na mulher.

            Pode ser que no ínicio a mãe se sinta frustrada e, muitas vezes, surge aquele pensamento de que ela está sendo “menos mãe” por não conseguir amamentar seu filho. E esse pensamento pode surgir também quando a mãe está encontrando dificuldades para amamentar.

            O aleitamento, apesar de ser algo natural, pode não ser um processo tão simples assim para muitas mães. Algumas delas acabam até mesmo por desistir de amamentar por conta das seguintes dificuldades:

            Além dessas dificuldades, muitas mães sofrem com críticas ou acabam acreditando que estão falhando como mães. É por isso que contar com o apoio de familiares é um fator super importante para que você saiba lidar com possíveis frustrações durante a amamentação.

            Buscar por informações e dicas que podem te ajudar a tornar esse processo mais fácil é sempre uma ótima alternativa para que você se sinta motivada a vencer os obstáculos. E mais: amamentar traz benefícios também para a recuperação mais rápida do útero após o parto.

Posso amamentar durante a gestação?

Nem sempre dá para fugir de ser surpreendida pela notícia de uma outra gravidez logo depois de ter tido um bebê. Assim, pode ser que muitos anseios surjam à sua cabeça, visto que uma gravidez não esperada pode surgir enquanto você tem outro bebê pequeno para cuidar.

Umas das maiores dúvidas que surgem quando a mulher fica grávida enquanto ainda está amamentando, é se pode continuar amamentando durante a nova gestação.

Mas, para falar a verdade, se o seu médico disser que está tudo bem e que continuar a amamentação não vai acarretar nenhum problema, não existirá nenhum impedimento. Em geral, a amamentação do bebê que já nasceu é contra indicada somente se a sua gravidez corre algum risco de aborto ou parto prematuro.

O que realmente ocorre é que, quando o feto está em desenvolvimento, os hormônios da mães passarão a focar nesse processo e poderão diminuir a produção de leite. Também durante a gestação, o bebê que ainda está mamando pode até mesmo parar de querer mamar devido a alteração do sabor do leite por conta dos hormônios.

Muitas mães encontram também desconforto ao amamentar durante a gestação ou optam por não amamentar duas crianças ao mesmo tempo após o parto, pois pode ser uma rotina muito desgastante.

Nesse momento, é importante que a mãe se prepare para o processo de desmame e comece a focar no processo de introdução alimentar.

Como funciona a introdução alimentar?

            Seja para a mãe que está voltando ao trabalho, decidiu parar de amamentar por conta de uma nova gestação ou por outro motivo, a fase da introdução alimentar chega com tudo e pode não ser tão simples. Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), é aconselhável que a introdução alimentar tenha início aos 6 meses.

            A alimentação do bebê e os primeiros contatos que ele tem com os diversos sabores começa logo durante a gestação. Depois disso, surge o período de amamentação e então uma redescoberta dos sabores durante a introdução alimentar.

            O desenvolvimento do seu bebê vai depender muito da dieta saudável que ele irá manter desde os primeiros contatos com os alimentos. Sendo assim, logo que completar 6 meses, o seu bebê já estará pronto para ingerir alimentos sólidos já que somente os nutrientes oferecidos pelo leito materno não serão o suficiente para ele.

            Por ser uma fase complicada para algumas mães, separamos algumas dicas super importantes para você levar em consideração na hora de começar. Confira:

Gostou de saber sobre esse tema super relevante? Deixe sua opinião nos comentários e não se esqueça de compartilhar esse post para que outras pessoas também possam ter acesso a esse conteúdo.

Até a próxima.

Confira outros conteúdos que possam te interessar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *