A abordagem CLIL foi introduzida na Europa em meados do século XX para melhorar a aprendizagem de línguas.

O ensino de uma disciplina através da integração de uma língua estrangeira (CLIL) se propõe a ensinar uma disciplina através de uma segunda língua, para progredir não apenas em determinada matéria, mas também no idioma.

Os alunos adquirem habilidades de linguagem e, ao mesmo tempo, desenvolvem seus conhecimentos e habilidades em determinada área.

Os benefícios podem ser vistos em termos de conscientização cultural, internacionalização, competência linguística, preparação para o estudo e vida profissional e aumento da motivação.

Resultado de imagem para metodologia clil

Os princípios do CLIL

O CLIL (Content and Language Integrated Learning) tem uma abordagem metodológica em que a disciplina, ou parte dela, é ensinada em uma língua estrangeira com o objetivo duplo de aprender o conteúdo disciplinar e, ao mesmo tempo, a língua estrangeira.

Inúmeras pesquisas no campo didático demonstram as vantagens da abordagem metodológica CLIL na aprendizagem, em particular destacando-se:

Alguns dos princípios que orientam a abordagem metodológica CLIL são: conteúdo, comunicação, cognição e cultura:

Para professores as aulas do CLIL apresentam as seguintes características:

Por que o CLIL funciona?

No CLIL, é fornecido um contexto comunicativo em que o idioma alvo é aprendido. Isso significa que todas as palavras, frases e conceitos do vocabulário são imediatamente relevantes e significativos.

De fato, no CLIL, os alunos geralmente sentem a necessidade de aprender a palavra / conceito antes de descobrirem o que realmente significa.

Compare isso com uma lista de vocabulário, onde os alunos aprendem primeiro a tradução de certas palavras ou frases e depois pensam em cenários em que podem aplicá-las.

No CLIL, como a linguagem é aprendida no contexto, os alunos têm mais facilidade para salvar as lições na memória de longo prazo. Eles têm um monte de âncoras que podem lembrá-los do significado das palavras.

De certa forma, eles têm toda a experiência da sala de aula ligada a eles. Na memorização mecânica, as conexões mentais não são tão fortes.

O vocabulário dado soa tão aleatório, mesmo quando estão agrupados topicamente, que as vezes há até uma desconexão ou incongruência para os alunos, e eles começam a perguntar: “Por que precisamos aprender isso? Onde vou usar isso na prática? Isso é verdadeiramente importante para mim?

O CLIL não apenas fornece o contexto para a aprendizagem, mas o faz naturalmente e de uma maneira que imita como aprendemos nossa primeira língua quando crianças.

É importante lembrar que, quando os alunos do jardim de infância chegam no primeiro dia de aula, eles já são fluentes no primeiro idioma.

Eles podem se comunicar e dizer ao professor o que está errado ou o que eles querem.

Resultado de imagem para metodologia clil

Essa competência foi adquirida sem qualquer lição de gramática.

No CLIL, quase não existem lições de gramática. Já que esse método não se preocupa com formas de superfície como estrutura de sentença ou conjugação de verbos. A devida observância das regras fica muito além da compreensão da linguagem.

Foi assim que aprendemos quando crianças. É por isso que existem muitos falantes nativos que têm dificuldade em explicar as regras da gramática de sua língua nativa, porque não aprenderam dessa maneira.

Eles adquiriram sua linguagem no curso normal da vida, ouvindo os adultos conversando, assistindo desenhos animados. Não foi um treinamento formalizado; foi uma socialização muito prática.

Uma aula do CLIL oferece esse mesmo cenário aos alunos – ver a linguagem em ação, sendo usada para se comunicar em um contexto concentrado e relevante.

Além disso, a CLIL entende que, ao aprender qualquer idioma, erros, suposições e associações de significado fazem parte da jornada. Embora não declarado explicitamente, os erros fazem parte do currículo.

A importância da motivação na aquisição da linguagem já foi estabelecida em diversos estudos já publicados.

O que é ótimo em uma aula do CLIL, é que ela usa eficientemente a motivação inata dos alunos para o assunto (como história, química ou matemática) e a canaliza indiretamente para um idioma de destino.

Como o assunto e o meio de instrução são inseparáveis e entrelaçados, o idioma de destino se beneficia do interesse natural que o aluno tem pelo tópico.

De certa forma, o CLIL usa a paixão do aluno e a utiliza para alimentar o aprendizado.

Mas afinal, o método CLIL pode ser usado que em um curso de idiomas, mesmo se não estiver vinculado a alguma disciplina como física, história ou matemática?

Claro que pode. Mas para isso é necessário fornecer um contexto significativo, e escolher tópicos que realmente sejam interessantes para sua classe. E saber trabalhar esse método com eficiência durante todas as aulas.

E então gostou de conhecer a abordagem metodológica CLIL? Deixe sua opinião nos comentários e não se esqueça de compartilhar esse post para que outras pessoas também possam ter acesso a esse conteúdo. Até a próxima.

Até a próxima.

Confira outros conteúdos que possam te interessar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *